A Marca

A Marca

IMAGINAR AUTOMÓVEIS

A Imaginação impulsiona o progresso. A Fiat criou o seu próprio tempo e antecipou as suas formas.

 

CONSTRUIR O FUTURO

A inovação tecnológica está no centro de todos os nossos projetos. Inovamos para melhorar a qualidade de vida, garantir a segurança dos nossos clientes e oferecer uma melhor relação com o ambiente.

Há mais de um século que vivemos uma paixão. Chamámos-lhe produto, tecnologia, empresa, empreendimento, mercado, grupo. Ajudámos a mudar o mundo e mudámos com o mundo. Percorremos as suas estradas e fizemos com que fossem percorridas.

Há mais de um século que construímos uma paixão. Chamam-lhe automóveis. Mas nós gostamos de lhe chamar ideias, porque é com a paixão por ideias que se chega longe.

DEIXAR UMA MARCA NA HISTÓRIA

A moderna indústria automóvel nasceu no fim do século XIX. A Fiat viveu esta história desde o princípio e ainda continua a vivê-la, sempre no papel de protagonista do mercado e da inovação.

 

HISTÓRIA DA FIAT

O construtor italiano foi fundado por um grupo de ricos empresários amantes do mundo automóvel, de entre os quais se destacam Giovanni Agnelli, um político da região de Piemonte, Lodovico Scarfiotti e o Conde Brecherasio di Cocherano, na cidade de Turim em 11 de Julho de 1899 com o nome Fabbrica Italiana di Automobili Torino (Fábrica Italiana de Automóveis de Turim), que viria a ficar conhecida como FIAT.

 

Fiat_Logo_History

 

 

Esta é a evolução dos logotipos do fabricante desde a sua fundação:

Giovanni Agnelli, primeiro presidente, imprimiu a sua visão e deu o seu rumo à empresa. Interessado em fazer uma linha de produção em massa, conseguiu lançar as bases do que hoje é um dos maiores complexos industriais do mundo. O primeiro automóvel lançado pelo construtor foi o modelo 3 ½ HP de 679 Cm3, que atingia 35 Km/h, do qual foram produzidos 300 unidades. O modelo saia da fábrica localizada em Corso Dante, onde operavam 150 funcionários.

Na primeira década do século XX, a FIAT também já fabricava locomotivas e, em 1910, quando lançou no mercado 10 novos modelos de automóveis, assumiu o posto de maior construtor de Itália. O ZERO, primeiro modelo produzido em massa pelo fabricante, foi introduzido no mercado em 1912. Nessa altura, a FIAT começa a tornar-se popular na Europa, em grande parte devido à utilização dos seus automóveis como táxis. Até 1915 aproximadamente 2.000 unidades desse modelo foram produzidas. Com o início da Primeira Guerra Mundial, passou a produzir ambulâncias, material bélico e até motores para submarinos.

Na década de 30 a FIAT causou uma verdadeira revolução no mercado europeu de automóveis com lançamentos extremamente populares como o modelo 508, apresentado no salão automóvel de Milão em 1932, o modelo 1500, primeiro automóvel desenvolvido tendo em conta a sua aerodinâmica, lançado pela empresa em 1935, e um dos maiores sucessos da história do fabricante, e o 500 Topolino (Mickey Mouse em italiano), lançado em 1936 como um automóvel pequeno e compacto de dois lugares, que vendeu 122.000 unidades até 1948.

A década de 60 foi cheia de novidades para o construtor italiano. Primeiro, em 1966, o controle da FIAT regressou à família Agnelli, quando Gianni, neto de Giovanni, assumiu o cargo de presidente. Com a sua chegada, a empresa viu-se completamente reestruturada. Gianni dividiu a empresa em áreas distintas, sendo as principais: Automóveis, Camiões e Tractores. Ainda nesse mesmo ano ocorreu o lançamento do FIAT 124 no salão do automóvel de Genebra, ganhando o título de carro do ano em 1967, revolucionando o conceito de espaço. O modelo era produzido em três versões: Familiar, Spider (com design a cargo de Pininfarina) e Coupé. No final desta década, em 1968, as exportações chegavam a 150 países e, para unificar a sua imagem global, foi lançado um novo logotipo: quatro losangos inclinados 18 graus com a sigla do fabricante escrita em branco sobre fundo azul. No ano seguinte a FIAT iniciou uma série de aquisições com a compra da LANCIA e parte da artesanal FERRARI (empresa que viria a adquirir na totalidade em 1988).

A década de 70 foi marcada por lançamentos inovadores como o FIAT 127 e o FIAT 132, além do Ritmo, que foi introduzido no mercado em 1978 em duas versões, 3 e 5 portas. Em 1979 a FIAT atingiu as vendas mais elevadas da sua difícil e penosa trajectória em solo americano, muito devido à crise petrolífera da época, que requeria automóveis mais económicos, bem ao jeito do fabricante italiano. Mas em 1981 com a queda do preço do petróleo, os americanos voltariam a optar pelos carros de grande porte e, devido à grande queda nas vendas, a FIAT optou por abandonar o mercado americano em 1984.

No entanto, dois dos mais populares automóveis de sempre do construtor foram lançados neste período: o PANDA e o UNO. Outro facto marcante foi a compra da desportiva Alfa Romeo em 1986. Nos anos seguintes a FIAT cresceu para se tornar uma marca global e adquiriu ainda o tradicional fabricante de automóveis de luxo desportivos Maserati, em 1993.

Actualmente, o PUNTO é um dos automóveis mais vendidos e, a par do Cinquecento (500), um dos símbolos da impressionante recuperação da FIAT.

No dia 30 de Abril de 2009, a FIAT assumiu uma participação inicial de 20% na Chrysler, que pediu concordata, ganhando força para suas operações no maior mercado consumidor do planeta: os Estados Unidos. Essa união resultou na partilha de sinergias e de tecnologia com as marcas do grupo americano: Chrysler, Jeep e Dodge (Viria a adquirir a totalidade do capital já em 2014).

Latest From Fiat